Glossário

Alfentanil: opióide sintético de curta latência e curta duração.

Alucinação: percepção real de um objecto que não existe, ou seja, são percepções sem um estímulo externo.

Anestesia dissociativa: anestesia que promove amnésia, estado cataléptico e anestesia profunda, onde o paciente apresenta sensação de dissociação com o ambiente.

Anestésicos:  grupo de fármacos utilizados para induzir a anestesia a nível local sem produzir inconsciência.

Anfetaminas: substâncias excitantes do Sistema Nervoso Central que ampliam a capacidade física e psíquica do indivíduo. São, por vezes, usadas como estimulantes, podendo ter efeitos secundários considerados perigosos.

Apneia: suspensão momentânea da respiração.

Ataxia: reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos podendo afectar a força muscular e o equilíbrio.

Barbitúricos: fármacos antiepilépticos, sedativos, hipnóticos e anestésicos.

Biodisponibilidade: é uma  medida da extensão de uma droga terapeuticamente activa que atinge a circulação sistémica e está disponível no local de acção.

Bradicardia: diminuição na frequência cardíaca.

Clearance: quantidade de fármaco que é retirada do sangue.

Clónus: conjunto de contracções musculares involuntárias devido a um estiramento súbito do músculo.

Cocaína: alcalóide anestesiante e estupefaciente extraído das folhas da coca.

Delírio: exaltação do espírito; alucinação; entusiasmo.

Disforia: mudança repentina e transitória do estado de ânimo.

Dependência: necessidade física e/ou psicológica de determinada substância ou actividade.

Dextrometorfano: fármaco antitússico, tendo como outras aplicações o alívio de dores psicológicas.

Diazepam: benzodiazepina usada como ansiolítico, anticonvulsivante, sedativo e relaxante muscular.

Diplopia: percepção de duas imagens a partir de um único objecto.

Dose Letal: define-se dose letal (DL50) a concentração de uma substância química capaz de matar 50% da população de animais testados.

Ecstasy: droga constituída por metilenodioximetanfetamina (MDMA) que, consistindo numa mistura de estimulantes e alucinogénios, actua no Sistema Nervoso Central, provocando efeitos como sensação de euforia e perda de inibição.

Efeito de primeira passagem: depois de um fármaco ser ingerido, é absorvido pelo sistema digestivo e, antes de chegar à circulação sanguínea, passa pelo fígado onde sofre metabolização, o que reduz significativamente a quantidade de fármaco que chega ao sangue.

Enantiómero: moléculas que são imagens no espelho uma da outra e não são sobreponíveis, nem por rotação, nem por translação. A mistura de enantiómeros numa solução denomina-se mistura racémica.

Esquizofrenia: doença mental, da qual se  podem distinguir três tipos (paranóia, catatonia e hebefrenia), caracterizada pela dissociação entre o pensamento do paciente e a realidade física do seu próprio corpo ou do ambiente em que ele se encontra.

Exogéno: tem origem fora do organismo.

Fasciculação: pequena contração involuntária, localizada e descoordenada de músculos, normalmente visível sob a pele.

Fisostigmina: parassimpaticomimético de acção indirecta pela inibição da acetilcolinesterase.

Haloperidol: fármaco neuroléptico, pertencente ao grupo das butirofenonas.

Heroína: ou diacetilmorfina é uma droga opióide natural ou sintética, produzida e derivada do ópio.

Lamotrigina: fármaco anticonvulsivante utilizado no tratamento da epilepsia e do transtorno afectivo bipolar.

Lorazepam: benzodiazepina usada como ansiolítico, anticonvulsivante, sedativo e relaxante muscular.

LSD: dietilamida do ácido lisérgico, alucinogénio.

Midazolam: benzodiazepina usada como ansiolítico, sedativo e relaxante muscular.

Midríase: dilatação anormal do diâmetro da pupila ocular.

Morfina: alcalóide extraído do ópio empregado, em injecções, como narcótico para acalmar as dores.

Narcótico: substância que provoca diminuição de sensibilidade e sensação de bem-estar, conduzindo à habituação ou à dependência, se usado exageradamente.

Nistagmo: oscilações repetidas e involuntárias rítmicas de um ou ambos os olhos.

PCP: fenilciclidina (fenilciclohexilpiperidina, abreviada como iniciado como PCP), também conhecido como pó de anjo ou poeira da lua, é uma droga dissociativa antigamente usado como um agente anestésico, causa alucinações e efeitos neurotóxicos.

Reacções extrapiramidais: podem ser manifestados como uma série de sintomas extrapiramidais como acinesia (incapacidade de iniciar o movimento) e acatisia (incapacidade de se manter imóvel).

Síndrome de abstinência: necessidade física e/ou psicológica de determinada substância ou actividade.

Taquicardia:  actividade cardíaca com anormal frequência de pulsações

Tempo de semi-vida: tempo que a concentração de fármaco no sangue ou no plasma leva a atingir um valor igual a metade do seu valor original.

4-aminopiridina: fármaco bloqueador dos canais de potássio e sua acção resulta numa melhoria da condução nervosa em axónios desmielinizados, com melhores resultados funcionais, tanto motores quanto sensitivos.