Farmacocinética

   A cetamina está disponível como mistura racémica com o S-(+) isómero – sendo mais potente que o R-(-) – isómero.  [I6] Comercialmente fornecidos na forma de sal cloridrato de 0,5 mg/mL e 5 mg/mL equivalentes base cetamina. (19)

   Para a indução da anestesia cirúrgica com uma duração de 5-10 minutos é necessária uma dose de 1,0-4,5 mg/kg administrada por via intravenosa; ao passo que para uma indução de anestesia cirúrgica que apresente uma duração de 12/25 minutos a dose é 6,5-13 mg/kg por via intramuscular. O líquido a partir de soluções injectáveis ​​pode ser levemente aquecido para evaporar a água, deixando um pó branco (cloridrato de cetamina), que pode ser inalado ou ingerido oralmente. As doses comuns são: 5-10mg/kg por via intramuscular, 50-100 mg por via intranasal (consumo de abuso), 4-5 mg/kg por via oral e 1-2mg/kg por via intravenosa. As impurezas são raramente vistas, apesar do cloridrato de cetamina poder ser usado como um falsificador de heroína. (20, 21)

   A biodisponibilidade após uma dose intramuscular é de 93%, 25-50% da dose intranasal e para dose oral é 20 ± 7%. A cetamina é rapidamente distribuída no cérebro e outros tecidos altamente irrigados, como o fígado e os rins, onde atinge concentrações quatro a cinco vezes superiores à do plasma. Subsequentemente, a cetamina é redistribuída para os tecidos menos irrigados. O tempo de semi-vida plasmática é de 2,3 ± 0,5 horas, a eliminação é renal e o volume de distribuição é 3-5L/Kg. A ligação às proteínas é 30%. Uma dose de cetamina pode provocar 10-15min de inconsciência, 30-40min de analgesia e amnésia durante 1-2h. (20, 21)

  A administração oral produz valores mais baixos no que diz respeito às concentrações máximas de cetamina. Não existem diferenças significativas entre as propriedades farmacocinéticas da S-(+) e R-(-)-cetamina. (22)

   O Citocromo P450 3A4 é a principal enzima responsável pela desmetilação da cetamina  para norcetamina, com contribuições menores de isoformas CYP2B6 e CYP2C9. Potenciais inibidores destas isoenzimas podem diminuir a taxa de eliminação da cetamina, se forem administrados concomitantemente, enquanto que os potenciais indutores poderiam aumentar a taxa de eliminação.  (21)

Figura 7: N-desmetilação da cetamina pelo Citocromo P450 3A4

  A norcetamina é depois hidroxilada (hidroxinorcetamina) e conjugada com ácido glucorónico, formando compostos hidrossolúveis que são excretados na urina (90%) e bilís. O anel ciclohexanona também sofre metabolismo oxidativo. (21)