Contexto Social

   

    Inicialmente, o uso recreativo da cetamina estava limitado ao culto da mente e da espiritualidade associada a profissionais de saúde devido ao seu fácil acesso. Contudo, o uso não autorizado do fármaco foi rapidamente ampliado a frequentadores de festas e “raves” sendo reconhecida como uma “club drug”.

   É vulgarmente conhecida pelos seus consumidores como K, Special K, Cat Valium, Vitamina K, Super K, Kit Kat, Keller, New Ecstasy, Psycadelic Heroin, Special la coke e Tac et Tic.

   A fonte de cetamina para uso ilícito está intimamente associada ao desvio de produtos farmacêuticos e de clínicas veterinárias. A forma como é administrada pode variar entre a via nasal ou intramuscular, podendo ainda ser fumada ou dissolvida em bebidas como a água ou sumo.

    O efeito da cetamina varia com a dose, sendo que, quando tomada em doses baixas produz uma experiência conhecida como “K-Land” sendo descrita como um “colorido e maravilhoso Mundo”, enquanto que, doses elevadas são referidas como “K-hole”, uma experiência  semi-consciente, “fora do corpo” e associada à percepção de fusão com outras pessoas ou objectos inanimados – psicadélico. No Reino Unido, foi relatada a venda de Cetamina como Ectasy, causando efeitos surpresa nos consumidores que não esperavam este tipo de experiência. Devido ao facto de bloquear os receptores NMDA envolvidos na memória e pensamento, muitas vezes é utilizada por violadores para drogar as suas vítimas. (9,10,11)